Lavar roupa | 7 mitos que você precisa derrubar

A Tsu olhando pela porta frontal da máquina de lavar roupa, vista pelo lado de dentro da lavadora.

Lavar roupa faz parte do nosso dia a dia. E apesar disso, você sabia que a grande maioria não sabe lavar roupa da forma correta?

Lavar roupa é muito mais que ter roupas limpas e cheirosas. É uma questão de dar vida longa ao que já temos, ou seja, de ser sustentável!

Assim, a regra é clara: sempre consulte a etiqueta têxtil (sim, aquela que você sempre insiste em cortar fora) e leia os rótulos das embalagens dos produtos para lavar roupa. Ah, e não se esqueça de conhecer o funcionamento da sua lavadora.

Agora, confira abaixo os 7 mitos na hora de lavar roupa e depois me conte, quais você ainda precisa derrubar:

Mito 1: Para lavar, é só separar as roupas por cor

Mão masculina segurando a etiqueta de uma camisa azul.
Você lê a etiqueta antes de lavar?

Não basta separar as peças apenas por cor. É muito importante separar por tipo de tecido e por grupos de uso também. Não é porque a camisa de seda, o pano de prato, as toalhas de banho e o body do bebê são brancos que posso lavar tudo junto na máquina.



Isso vale para peças de fio natural e sintético. Sabe aquelas bolinhas na calça de poliéster? Talvez seja porque você está lavando junto com outros tipos de tecido! Fica a dica.

Mito 2: Toda roupa colorida mancha

Pilha de calças coloridas dobradas.
Você sabe quais peças soltam tinta?

Não necessariamente. Isso geralmente ocorre quando o corante não está bem fixado no tecido e, por isso, a tinta se desprende da roupa com facilidade, principalmente quando fica muito tempo de molho.

Se estiver na dúvida, lave separadamente ou faça um teste. Molhe a peça colorida, coloque sobre um tecido branco e passe ferro. Se o tecido branco ficar manchado, alerta!

Mito 3: Na hora de lavar, quanto mais espuma melhor

Imagem da porta da máquina de lavar roupa funcionando com bastante espuma branca.
Quem disse que precisa de muita espuma para a sua roupa ficar limpa?

Usar mais sabão que o necessário, além de ter que gastar mais água para o enxágue, pode danificar o tecido. Também pode causar problemas à própria máquina de lavar. Leia sempre o rótulo do seu produto.

Conheça os impactos ambientais que o excesso de sabão pode provocar e vamos adotar hábitos mais conscientes! Os nossos rios e mares agradecem.

Mito 4: Quanto mais tempo de molho, melhor para tirar a sujeira

Mãos lavando uma calça jeans numa bacia com água azul clara.
Confesse, você já deixou as roupas mais sujas de molho de um dia para o outro…

Deixar as roupas de molho mais que duas horas não é recomendado porque a sujeira, na maioria das vezes, volta a impregnar na peça. Como resultado, podem causar aquele odor horrível de roupa mal lavada. Ninguém merece.

Mito 5: Precisa usar água quente para tirar qualquer tipo de mancha

Mãos de uma mulher segurando uma parte de uma camisa branca com mancha fresca de molho de tomate.
Sempre trate a mancha o mais rápido possível.

Segundo estudos, a água quente ajuda a expandir as fibras do tecido, fazendo com o que o sabão penetre com mais facilidade e clareie as peças, principalmente as brancas. Mas se você colocar água quente na primeira lavagem, em vez de remover as manchas e a sujeira, você pode agravá-las!

Por isso, é importante sempre utilizar a pré-lavagem com água fria para depois utilizar água quente (quando a peça permitir!) como complemento da limpeza.

Mito 6: Usar saquinho de rede na máquina é o mesmo que lavar à mão

Roupa de cor salmão dobrada dentro de um saco de rede com zíper para lavar roupas delicadas.
Usar sacos de rede ajuda, mas não protege a sua roupa de todo mal…

Existem peças que não podem ser lavadas na máquina nem mesmo em saquinhos. É o caso de peças de seda muito delicadas, por exemplo.

Os saquinhos protegem, todavia não evitam os pelinhos (como lavar junto com toalhas) e nem a deformação por escolha de programa de lavagem inadequado. Então, cuidado!

Mito 7: Quanto mais amaciante, mais macia fica a minha roupa

O braço de uma pessoa derramando uma tampa de amaciante de roupa dentro da máquina de lavar.
Amaciante de roupa: saiba o seu uso correto.

O amaciante em excesso pode provocar o efeito inverso. Ao contrário do que pode parecer, as fibras ficam tão “encapadas” que podem criar uma espécie de crosta.

Caso a sua peça já esteja assim, áspera e dura, experimente trocar o amaciante pelo vinagre. Ele pode eliminar essa capa, revigorando os fios e trazendo a maciez de volta à peça.

E então? Já conhecia esses mitos? Se não, vambora derrubá-los e dar vida longa às peças. Sustentabilidade é usar bem o que já tem. A Tsu apoia essa causa!

Gostou da dica? Então compartilhe com seus amigos e não esquece de deixar o seu comentário :)

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Tsukie Takagi

Tsukie Takagi

Sou a Tsu, japa da gema, apaixonada pelo Brasil e pela organização. Atuo como personal organizer pela T2Organiza - desde que joguei o crachá pro alto - e ajudo você a ter uma casa organizada de forma leve e sustentável. Siga-me do Instagram: @t2organiza

Deixe seu comentário

5 respostas

  1. Oi Tsu
    Sempre tenho cuidado em separar as peças por cor e por tecidos delicados mas, muitas peças apresentam bolinhas. Será que isso acontece pelo fato de peças de algodão serem lavadas com peças de poliéster? Amei as dicas vou começar a substituir o amaciante por vinagre 😘

    1. Oi, Rô! Tudo bem?
      Opa, é isso mesmo. Caso haja atrito entre peças de diferentes fibras, isso pode acontecer. Principalmente as peças de viscose ou poliéster se enchem de bolinhas, né? Tente não misturar as novas, e depois, me conte! Beijos 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *