Empreender maternal | Criar os projetos como filhos

Hoje eu senti no coração de compartilhar como a maternidade influencia o meu empreender. Ou para alguns, como ela desequilibra tudo isso. Pois andei observando o quanto muitas pessoas, em particular, as mulheres, se reinventaram durante esse momento de pandemia. Porém, ainda há a dificuldade de sustentar seus novos negócios.

Há alguns anos eu decidi empreender unindo meus conhecimentos de organização e minha paixão por nutrição.

A verdade é que eu tinha muitas idéias e muita, mas muita sede de compartilhar tudo o que eu já havia experimentado para o mundo. Como contar minhas descobertas para minhas melhores amigas, sabe? Você já se sentiu assim?

Mas aos poucos eu fui percebendo e sentindo que só isso não bastava. Meus projetos precisariam ser sustentáveis.

Aprendi que empreender é autoconhecimento em movimento. Por isso o meu negócio, minha empresa, meu serviço, meu produto tinha quer ser gestado, cuidado, acolhido, nutrido, protegido, zelado para amadurecer e se auto sustentar.



É como gestar um filho, eu tinha que me fortalecer para estar preparada para essa gestação. E foi então que o autocuidado tomou grande espaço no meu estilo de vida.

Criar novos hábitos nem sempre é gostosinho não é mesmo?

Mas quando tomei consciência da importância de uma nova postura comigo mesma, tudo começou a expandir e fluir naturalmente em todas as áreas da minha vida.

Fernanda sentada no chão da sala em posição de flor de lótus com cestos naturais ao lado.

Rituais para prosperar… Empreender você primeiro

Atualmente não abro mão de dedicar a primeira hora do dia para mim. Eu medito, leio a Bíblia, pois foi a leitura que escolhi para iniciar meus dias. Escrevo, me alongo. Adaptei a importância desse autocuidado depois que li o livro O Milagre da manhã.

Saber pausar. Silenciar quando é preciso. Avançar quando é necessário. Identificar e realizar minhas tarefas inegociáveis com leveza e respeito a minha ciclicidade fez muita diferença. É como desenvolver a intuição para compreender qual o motivo de cada choro de um recém nascido.

Afinal, prosperidade é muito além de riqueza. É enriquecer os meus valores. Tudo aquilo que é realmente importante para mim.

Não dá para plantar rosas e colher girassóis! Eu (es)colho o que planto!

Eu percebi que é necessário respeitar o tempo de cada fase de cada projeto. Desde o nascimento da ideia, a criação, a nutrição diária, o acolhimento dos erros, a proteção da autenticidade e o zelo da entrega.

Nesse sentido, todo projeto precisa de experimentações, versões, atualizações para amadurecer, ganhar a confiança do seu público-alvo até gerar liberdade financeira para seu idealizador. E ainda, gerar mais networking e crescimento para o negócio.

Fernanda na feira segurando limões na mão e olhando para a câmera.

Vender é compartilhar felicidade

Quando eu ouvi essa frase pela primeira vez, ela fez tanto sentido pra mim que desde então ela está escrita num post-it no mural do meu cantinho de trabalho.

Foi tão fácil compreender pois quando adquiro um novo curso, ou um novo produto eu sempre estou em busca de me sentir bem, me sentir feliz. Eu não compro nada que não me agrada. Não é assim com você também?

Então, percebe como pensar dessa maneira, torna a tarefa essencial de vender o seu saber com amor para o mundo muito mais confortável e ainda aumenta a alegria de alcançarmos mais pessoas com esse conhecimento?

Para isso, foi preciso que eu crescesse junto com meu projeto e com amor entregá-lo e desfrutar dos seus frutos.

Fez sentido para você? Como você irá nutrir seus projetos quando bater a vontade de desistir ou a autocrítica assombrar a partir de agora?

Você abandonaria um filho?

Gostou da dica? Então compartilhe com seus amigos e não esquece de deixar o seu comentário :)

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Fernanda Perrella

Fernanda Perrella

Mãe de 3, bacharel em Ciências da Computação por formação e Personal Organizer por paixão. Descobri o afeto como tempero essencial do coração da casa. Cozinha organizada é saúde! Idealizadora do Método Cozinha Afetiva! Siga-me do Instagram: @eu.ferperrella

Deixe seu comentário

8 respostas

  1. Sensacional sua visao de empreender , gerar , auto conhecimento . Saber pausar , silenciar , identificar , negociar, tudo com leveza e respeito . Esta frase vender é compartilhar felicidade , é a mais pura verdade porque mesmo que eu estiver comprando um remedio ele é para me curar , portanto ate nisto existiu a felicidade … parabens ! Amei seu conteudo , sua explicaçao e seu portugues correto rsrsr bjs

  2. As pausas são necessárias para recarregarmos a energia, para podermos reiniciar e dar continuidade ….Reconhecer a necessidade ou o momento da pausa, confesso que é um aprendizado que tenho buscado diariamente para ter uma vida Organizada com muita leveza.

  3. Jamais abandonar. As vezes uma pausa é necessária, para amadurecermos e podermos seguir em frente mais forte para realizarmos aquilo que idealizamos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer ter sua casa limpa sem stress?

Clique no botão abaixo e veja as dicas que separei pra você. Um infográfico completo e gratuito!

Ei! Quer emagrecer?
Comece pela geladeira!

Preparei um infográfico com dicas exclusivas de como organizar sua geladeira. Baixe agora. É gratuito!